"A minha vida é um instante,
uma hora que passa,
é um momento que rapidamente escapa de minhas mãos.
Eu sei meu Deus, que para amar-te aqui na terra
não tenho outro momento a não ser o presente."

Santa Teresinha.






Ultréia 19.10.10 "A Pobreza Evangélica"

Pensamentos em Pétalas

Minha vocação é o amor!

Comemoramos no início deste mês o dia de Santa Teresinha, esta santa que é exemplo de humildade, renúncia e entrega ao amor de Deus.

A pequena via de Santa Teresinha do menino Jesus vem no sentido que as próprias agruras do dia a dia nos ensina o desabrochar da nossa vida espiritual ao vencermos os nossos caprichos em favor do outro. Certamente, é uma peleja dura, pois nem sempre o outro detém o mesmo espírito. Aí reside a distinção do caminho de Santa Terezinha do menino Jesus.

Esta busca do outro pela pequena via não vem a ser fundamentalmente um trabalho ascético de caráter moralista ou ainda por puro sentimento filantrópico na busca do outro; mas sim, por este caminho, Santa Teresinha do menino Jesus, encontrou no fundo a DEUS. Sua mensagem pode ser resumida em quatro pontos:

1. Sigamos o caminho da simplicidade;
2. Entreguemo-nos com todo o nosso ser ao amor;
3. Em tudo busquemos fazer cumprir a vontade de Deus;
4. E que o zelo pela salvação das pessoas devore nossos corações.

Inúmeros prodígios são atribuídos à sua intercessão. A leitura a meditação de História de uma alma vem causando incontáveis conversões.

O Papa Pio XI a canonizou no dia 17 de maio de 1925. No dia 9 de junho de 1897 havia prometido fazer cair uma chuva de rosas sobre o mundo. No dia 17 de julho explicara melhor em que consistiria essa chuva:

"Eu quero passar o meu céu fazendo o bem sobre a terra."

Santa Teresinha
Rogai por nós!

Festa de Santa Teresinha 2010

Teatro em homenagem a Nossa Senhora Aparecida

Hoje na Igreja Matriz da Paróquia da Imaculada Conceição de Raiz da Serra, na missa das crianças, a catequese fez uma encenação contando a história de Nossa Senhora Aparecida. Foi verdadeiramente um espetáculo! As crianças e toda equipe da catequese da Matriz que participou do teatro estão de Parabéns! Que Deus e Nossa Senhora Aparecida lhes Abençoem hoje e sempre. Amém!

Missa a Nossa Senhora Aparecida 12.10.10

Ano Sacerdotal de 19/06/2009 a 19/06/2010

ano sacerdotal




Vocação Sacerdotal, Um Chamado de Deus
A missão de cada sacerdote é clara e precisa: a salvação das almas.


Eu considero que a primeira reflexão deve ser sobre o caráter estritamente sobrenatural do chamado de Deus: foi Ele quem tomou a iniciativa sobre o novo rumo que as vidas dos vocacionados tomarão. Porque não são os vocacionados que escolheram a Cristo, mas sim foi Cristo quem, de uma maneira especial, escolheu-os para que vão por todo o mundo e levem frutos de santificação e de autêntica vivência cristã, e para que todos os frutos permaneçam como um sinal clarividente da intervenção divina (Cf. Jo 15,16). A vocação sacerdotal e consagrada se apresenta por isso como uma eleição providente de Deus, profundamente gratuita, imprevista e desproporcionada a nossos cálculos e possibilidades humanas.

A vocação sacerdotal é o maior presente que Deus pode depositar nas almas.
Do mesmo modo que chamou Pedro, São Tiago, João... e foi-lhes dizendo: 'Vem e segue-me', um dia Cristo fixou seu olhar em um jovem e disse: 'N., N.,N.,... vem, que eu te farei pescador de homens'. Ninguém respondeu ao sacerdócio por ação humana, mas porque o próprio Cristo no interior de suas almas pronunciou seu nome e os convidou a segui-lo. É um convite a grandes coisas: o que é melhor que ser embaixador do próprio Deus?
Cristo tem necessidade de cada um dos sacerdotes, como teve de Pedro, de São Tiago e de São João. Os sacerdotes são as mãos, os pés, os olhos, a mente, o coração de Jesus Cristo; são os canais e os meios pelos quais Ele vai comunicar-se à humanidade.
Que honra! Que doce o peso que Ele coloca sobre ombros de cada sacerdote: é o peso imponderável da Redenção, na qual se contém a felicidade pessoal e eterna de cada homem.

Chamado que respeita a Liberdade

Deus respeita em sua integridade o homem e quando chama uma alma a seu serviço, em seu solene poder, nem a violenta, nem a intoxica, mas, com a paciência e amor que em sua revelação podemos contemplar em Jesus, deixa-a quase andar à deriva ou ao sabor das circunstâncias normais que trazem consigo esses processos e situações, e que em seus altos e baixos mal controlados poderiam inclusive determinar a decisão fundamental da alma e comprometer seu desígnio.
Há muitos jovens que Deus nosso Senhor preparou amorosamente desde toda a eternidade para que sejam sacerdotes; há muitos jovens que Deus chamou para serem sacerdotes; mas nem todos correspondem ao chamado de Deus, porque o chamado de Deus não implica o esmagamento da liberdade da pessoa humana; Deus sempre deixa a liberdade de seguí-lo ou não segui-lo. Cada jovem chamado ao sacerdócio é livre, absolutamente livre; cada um deles pode responder a Deus: sim ou não.

Chamado que exige uma resposta pessoal

Deus chama a cada jovem ao sacerdócio para que ele responda; chama a cada um, como pessoa. E a resposta a Deus é uma resposta pessoal. Nunca posso me escusar na falta de generosidade dos outros para justificar minhas atitudes. No caso de que os demais não viverem o cristianismo, de não se entregaram com entusiasmo ao trabalho apostólico, eu não tenho nenhum motivo para ficar atrás... Já dizia a Bíblia: 'Ainda que caiam dez mil à tua direita e dez mil à tua esquerda, tu segue adiante'.

Chamado que implica Santidade

A missão de cada sacerdote é clara e precisa: a santidade urgente! Temos por vocação que nos esforçar para adquirir a consciência de que hoje e amanhã ensinaremos nossos irmãos como ser santos. Alter Christus (Outro Cristo): glorificador do Pai e salvador de almas.

Vocação sacerdotal

Sobre a vocação e a vida dos presbíteros, eis como se pode visualizar o conteúdo do livro de Dom Rafael Llano Cifuentes – Sacerdotes para o Terceiro Milênio, Ed. Santuário: O sacerdote é chamado à santidade sacerdotal, a viver o celibato como afirmação jubilosa e fecunda, a buscar a maturidade afetiva, a ser livre na pobreza; a viver na humildade e sinceridade aceitando a si mesmo com coerência, autenticidade, transparência e amor humilde; a cultivar a vida de oração, a ter o amor como paixão. Assim será como o Bom Pastor! “O sacerdócio está gravado, de forma indissolúvel, no nosso ser. E parece que grita: “Sacerdos in Aeternum!”.
Podemos ficar desanimados… Nesse momento delicado, temos de descer até nossas raízes mais íntimas e encontrar força no chamado divino pessoal: “O Senhor escolheu a mim, pessoalmente, antes da constituição do mundo. Sou sacerdote para sempre!… Maria Santíssima trouxe para a Terra o Filho de Deus uma vez na história. Eu, com a força da minha palavra sacerdotal, posso trazê-Lo todos os dias na Santa Missa…” (pg. 14-15). “Como é bom perceber o amor e dedicação dos nossos padres nas comunidades e paróquias! Rezemos para que eles possam com amor seguir a Jesus Cristo nessa vocação”, escreve uma religiosa que atua em nossa Diocese.
No Ano Sacerdotal proposto pelo Santo Padre, é importante o lema: “Fidelidade de Cristo, Fidelidade do Sacerdote”. “Deixar-se conquistar totalmente por Cristo! Este foi o objetivo de toda a vida de São Paulo; esta foi a meta de todo o ministério do Santo Cura de A’rs, a quem invocaremos particularmente durante o Ano Sacerdotal” (Bento XVI, Homilia de Abertura do Ano Sacerdotal).



Enraizados e edificados em Cristo, firmes na fé. Col. 2,7